quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Você e eu

Como uma criança abandonada, já pensei que a esperança não existisse.
Perdido em meio a tanta maldade eu vivia assustado.
Imerso no caos eu tentava encontrar um descanso, mas não conseguia.
Eu já chorei de desespero.
Já tive tanto medo a ponto de me faltar o ar.

Eu ouvia por aí que o amor existia, mas eu não o sentia.
Eu me perdia na escuridão.
Eu corria tentando achar algo que eu não conhecia.
Eu era prisioneiro do medo,
Da insegurança,
Das incertezas,
Da maldade que me acometia.



Mas quando Te encontrei, senti que não precisava de mais nada.
Na verdade, eu não Te encontrei. Eu jamais conseguiria Te achar, sem poder enxergar.
Foi Você que me encontrou.
Foi Você que me disse que eu era um filho, porque Você é o meu Pai.
Foi Você que me trouxe a possibilidade de voltar a acreditar.

Você, Papai, é Bom e Fiel em todo tempo.
Você me abraça e me envolve em Sua Paz.
Você sussurra um som gostoso pra dormir quando estou inquieto.
Você olha pra mim e sorri pra mim.
Você me faz sorrir pra Você.

E é Você que tem me ensinado a enxergar as coisas como são.
Como Você diz que são!
E Você diz que o caos será transformado.
E pede que eu repita isso.
E Você diz que o medo não existe em Seu amor.
E pede que eu repita isso.
E Você diz que o maior inimigo já está vencido.
E pede que eu repita isso.
Pra que eu acredite.
Pra que eu confie.
Pra que entenda quem eu sou.

Filho é o que eu sou.
E Você vive em mim.
E Sua autoridade está em mim.
E desde pequeno Você me ensinou,
Que eu não nasci para o medo,
Mas para responder ao Seu amor
E fazer o mau tremer de medo.
Postar um comentário