quarta-feira, 10 de agosto de 2016

O deus dominante

Qual é o deus que você conhece? Qual é o deus que você revela?

Ao que parece, antes de conhecer e saber quem é o Deus verdadeiro precisamos saber quem Ele não é. E Ele não é um general, um tirano, um deus impessoal, um deus distante... Deus não é um cara arrogante assentado em um trono desejoso de vingança e castigo, que governa o mundo a fim de condená-lo. O Deus verdadeiro não se relaciona na base da dominação, da imposição ou do medo. Não!

O Deus verdadeiro é Amor, que expulsa o medo! Ele é o Justo Juiz sim, mas é também Misericórdia e Graça, e Ele mesmo revela que a Misericórdia triunfa sobre o Juízo. Como? Ao invés de nos condenar por não termos entendido que Ele nos basta e rejeitado o relacionamento com Ele, o que Ele fez foi se colocar em nosso lugar e pagar o preço. Ele poderia ter nos aniquilado, mas preferiu morrer a matar. A Sua misericórdia triunfa sobre o Seu juízo. E a menos que entendamos isso sobre o Seu caráter, nada vai fazer qualquer sentido em nossa vida, porque não conseguiremos cumprir o que Ele mais deseja para nós: que nos relacionemos com Ele.

Em alguns momentos da história houve equívocos e distorções sobre o caráter de Deus. Assim nos acostumamos a vê-Lo como um Chefe e não como amigo, como um rei tirano e não como um Pai. Mas em Cristo Ele veio nos revelar exatamente essas coisas sobre Si.(João 15.15)(Romanos 8.15)(2Coríntios 6.18)

É necessário entender que não é possível conhecer o Pai sem conhecer o Filho. Sendo assim, o que precisamos fazer para conhecer do caráter de Deus é olhar para o Filho Jesus. Ele é a revelação autêntica de quem Deus é.

A 1ª ilustração abaixo revela muito sobre o deus que muitos têm conhecido (e revelado): um deus cuja concepção é construída com base em si mesmo, no seu próprio ego controlador e que deseja toda atenção.

Já a 2ª imagem ilustra um pouco melhor o Deus verdadeiro.
Mas a questão é: quem não O conhece só tem olhos para a primeira ilustração - criticando-a ou se vitimizando por viver dessa forma -, porque o deus que ele(a) conhece não é o verdadeiro, mas o seu próprio ego.





Postar um comentário